No vídeo deste post, o Doutor Dirceu Gassen mostra algumas dicas sobre as doenças de solo. Com base em sua análise torna-se necessário a reflexão assertiva na adoção de estratégias que melhorem a fase BIOLÓGICA DO SOLO.

No vídeo deste post, o Doutor Dirceu Gassen mostra algumas dicas sobre as doenças de solo. Com base em sua análise torna-se necessário a reflexão assertiva na adoção de estratégias que melhorem a fase BIOLÓGICA DO SOLO.

Por meio de muitas observações nas mais variadas regiões no Brasil, nota-se grandes aumentos de produtividade na cultura da soja após a introdução de culturas de cobertura.

Alguns anos atrás esse efeito era atribuído a melhoria da química do solo , principalmente a reciclagem de Potássio das camadas mais profundas para as mais superficiais. E atualmente sabemos que esse é o menor dos efeitos.

Os principais ganhos estão relacionados a melhoria na parte FÍSICA e BIOLÓGICA DO SOLO. Com esses cuidados, pode-se obter um enorme ganho de produtividade na cultura da soja no Brasil quando haver implantação nos sistemas de produção onde se cultiva soja, dois novos conceitos.

A exemplo do que já se faz atualmente na QUÍMICA DO SOLO, não abrindo mão das ADUBAÇÕES DE MANUTENÇÃO, torna-se necessário introduzir o mesmo conceito e pensamento sobre a MANUTENÇÃO DA FÍSICA DO SOLO e da BIOLOGIA DO SOLO.

Infelizmente a grande maioria dos Agrônomos e Agricultores do Brasil investem todo o seu tempo e conhecimento na QUÍMICA DO SOLO e não investem nada na MANUTENÇÃO DA FÍSICA E BIOLOGIA DO SOLO que são excelentes nas áreas de cerrado e floresta sem cultivo, mas que pioram ao longo dos anos de cultivo, principalmente nas áreas de soja/milho safrinha ou soja/ pousio devido a tráfico intenso de máquinas em momentos em que o solo está muito úmido e baixo aporte de Matéria orgânica no solo que são o alimento dos micro-organismos no solo e que consomem em torno de 15 toneladas de matéria seca/há / anos nas nossas condições tropicais.

 

Conheça o capim Brachiaria

Um dos mais populares capins do Brasil, a forrageira Brachiaria é cultivada em aproximadamente 70 milhões de hectares no país. Apresentando tolerância média à seca e ao frio, o capim Brachiaria floresce bem em solos sem umidade, é resistente à cigarrinha, possui bom valor forrageiro e elevada produção de massa verde.

É uma espécie da família do capim Poaceae, que pode ser topado em várias categorias: brizantha, decumbens, humidícola, llanero, piatã, ruziziensis, xaráes/MG 5, entre outras, cada qual com características próprias. O Capim Brachiaria possui boa abrangência de solos, alta capacidade de competição com invasoras e estabelecimento acelerado.

Brachiarias comercializadas pela Mineirão

Leave a Comment

Sementes Mineirão

Atuamos como produtora de sementes de forrageiras tropicais com sede na cidade de Unaí, em Minas Gerais. Nossas atividades deram início em 1995 tendo como parceiro a Embrapa Cerrados.

Contato

Rua Sabará, 153 Bairro Cruzeiro Unaí-MG
Telefone:  (38) 3676-8000

Associado/Parceria

A Mineirão Sementes para Pastagem, sendo uma empresa Associada Ouro da UNIPASTO, tem como objetivo auxiliar na busca da excelência das sementes forrageiras nacionais, trazendo soluções para o combate à pirataria e a multiplicação e comercialização ilegal de cultivares protegidas.

Siga-nos

Como chegar: