Brachiaria Ruziziensis

Tipo de Brachiaria forrageira de uso restrito, sendo utilizada principalmente em áreas de integração com lavoura, exclusiva como cobertura de solo e produção de palhada. Tem como características relevantes o rápido estabelecimento a boa qualidade forrageira, o excelente consumo por porte dos animais e a baixa resistência à cigarrinha da pastagem.

A sua principal vantagem está nos sistemas integrados onde consorcia bem com milho safrinha para a produção de forragem de outono-inverno e/ou palhada para plantio direto. Possui fácil dessecação.

Diferenciais da Semente

A Brachiaria ruziziensis, é de origem africana na região do Congo. Atualmente, está difundida em vários países tropicais, com excelente adaptação a maioria das regiões brasileiras.

As primeiras sementes vieram de Ruanda, que foram estudadas e disseminadas nos anos 60 pelo Institut National pour I’étude Agronomique du Congo Belge (INEAC) em Rubona, no Quênia e se espalhou por todo o continente Africano.

A semente pode ser distribuída a lanço com calcareadeira ou manualmente devendo ser cobertas por solo imediatamente após a distribuição na área. No plantio em linha, usa-se a menor distância entre linha possível, sendo que, nessa operação e no plantio com matraca, a cobertura com solo ocorre automaticamente.

Para plantio com matraca, deve ser colocado um limitador de profundidade na boca da matraca, podendo ser através da solda de chapas laterais que limitem a profundidade de plantio em no máximo 2 cm. No plantio aéreo, deve ser utilizado de 30% a 40% a mais de semente do recomendado. A semeadura deve ser realizada no início do período chuvoso (outubro/novembro).

O plantio pode ser feito em sulcos espaçados de 0,6 m a 1,0 m entre si, a lanço ou em covas (0,5 m x 0,5 m) quando se utiliza mudas. Como as sementes são pequenas a profundidade de semeadura deve ser de 2,0 cm a 3,0 cm, o que pode ser obtido pela passagem de um rolo compactador. A densidade de semeadura varia de 10 kg/ha a 15 kg/ha, dependendo da qualidade das sementes e do método de plantio. Quando em consorciação com leguminosas, o plantio pode ser feito a lanço ou em linhas espaçadas de 1,0 m.

Forrageira gramínea perene, com 1 m a 1,5 m de altura, sub-ereta essa espécie está mais proximamente relacionada com B. decumbens, por ter porte maior, média exigência em fertilidade do solo e por suas pilosidades, com folhas macias de borda ondulada. A inflorescência está formada por 3-6 racemos, medindo 0,15 cm de largura e de 10 cm a 25 cm de comprimento. Possui aspecto aveludado devido à grande quantidade de pelos. Tem rizomas fortes, com até 15 mm de diâmetro.

Essa espécie tem um odor peculiar, semelhante ao capim gordura, sendo muito palatável. Não apresenta fator tóxico e não tolera geada. Cresce em vários tipos de solos, desde os mais arenosos até os mais argilosos, porém requer boa drenagem e condições de média fertilidade.

A forrageira de solos de média a alta fertilidade, demanda boa drenagem e clima de regiões tropicais. Não resiste à geada e, em condições ideais, suas sementes germinam e se estabelecem muito bem. É bastante palatável e bem aceita pelos animais. Porém, deve-se ter cuidado com o pastejo devido à boa palatabilidade, o que pode comprometer a sua rebrota, principalmente se for sobre pastejada (rapada). A qualidade nutricional de sua forragem é de 8% a 11% de proteína na matéria seca.

A ruziziensis apresenta alta susceptibilidade às cigarrinha-das-pastagens. Apresenta adaptação climática até 2.000m acima do nível do mar. A temperatura ótima para o crescimento é de 28 ºC a 33 ºC, sendo afetada por temperaturas baixas.

A Brachiaria Ruziziensis tem como qualidade fundamental uma excelente palatabilidade, é sendo aceita por bovinos de recria e engorda. Por se tratar de uma variedade de Brachiaria que resiste à seca e ao frio, pode ser consorciada com leguminosas como o Calopogônio.

Essa variedade de Brachiaria é muito utilizada no pastoreio de bovinos, equinos e ovinos, além de na produção de feno, como cobertura de solo para soja e no plantio direto. Possui como vantagem uma menor velocidade de decomposição, permanecendo no solo por um período maior. É uma variedade de Brachiaria exigente em fertilidade do solo: sua formação se dá de 90 a 120 dias.

A Brachiaria ruziziensis é muito utilizada no plantio direto e na entre safra de culturas anuais como a soja e milho, oferecendo cerca de 9 ton.MS/ha/ano (aproximadamente 30 ton. Massa verde/ha/ano) e 12% de proteína bruta.

Pela qualidade de sua forragem, a ruziziensis está servindo de base para o desenvolvimento de novas cultivares de Brachiaria. A ruziziensis é a mais procurada, por seu volume de massa produzido, pelos benefícios que proporciona ao solo e pela sua alta sensibilidade aos herbicidas. Deve-se utilizar esta cultivar dentro de um planejamento cuidadoso, uma vez que ela apresenta pouca resistência à seca e ao pisoteio.

Conheça também a linha fosfatada para uso na pecuária. Com a linha fosfatada da Mineirão Sementes, sua produção pode obter excelentes resultados!

Clique aqui e conheça o nosso diferencial de mercado.

Informações Técnicas

Hábito de crescimento Cespitoso
Estolonífera Não
Exigência em fertilidade Média-Alta
Saturação de bases esperada 40% (mínimo)
Responsividade á adubação Alta
Tolerância à acidez do solo Baixa
Tolerância à seca Media
Tolerância à frio Media
Tolerância ao encharcamento Baixa
Precipitação (mm) >800
Altitude Até 2000
Resist. à Cigarrinha das Pastagens Muito baixa
Taxa de semeadura (Kg SPV/HÁ) 3,5 a 5,0
Profundidade de semeadura (cm) 2,5 a 5
Facilidade/Rapidez cobertura/ solo Alta
Produt.MS (ton MS/há/ano) 8 a 20
Proteína bruta (%MS) 7 a 12
Digestibilidade (%MS) 50 a 70
Hospedabilidade – P.brachyuruse P.zeae (em relação ao milho ou soja) Média
Media Hospedabilidade – M.incógnita,M.Javanica,H.Glycinese, R. Reniformis (em relação á soja) Ótima facilidade em consorciamento
Facilidade de consorciamento com gramíneas anuais Favorável
Facilidade de consorciamento com leguminosas anuais Favorável
Tolerância ao sombreamento Média
Facilidade de dessecação Alta